China foi mencionada abertamente em 4 momentos na reunião ministerial: Paulo Guedes, China e Plano Marshall

Quando Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta sexta-feira, 22,  pela divulgação do vídeo da reunião ministerial mencionada por Moro, o ministro determinou que fossem mantidos em sigilo trechos que tratam de política externa, como menções negativas à China. No material divulgado, no entanto, o nome do país vem à tona em quatro momentos, não necessariamente elogiosos, que falam sobre a possibilidade de um agente infiltrado e até a utilizam como exemplo para a legalização de jogos de azar. Enquanto o vídeo era divulgado, a embaixada chinesa no Brasil divulgou nota reafirmando a força das relações comerciais entre os países. Confira os trechos em que a China é citada e a “resposta” da embaixada abaixo:

Paulo Guedes, China e Plano Marshall


Parte 1 (clique no vídeo abaixo para acompanhar o momento da fala)




Paulo Guedes:  “Então quando se falou em Plano Marshall, Pró-Brasil é um nome espetacular. Dez, mil. Plano Marshall é um desastre. Revela despreparo nosso. Plano Marshall, por exemplo, os Estados Unidos podem fazer um Plano Marshall para nos ajudar. A China, [trecho suprimido], deveria financiar um Plano Marshall para ajudar todo mundo que foi atingido. Então a primeira inadequação, a gente tem que tomar muito cuidado é o seguinte, é o plano Pró-Brasil.”
China foi mencionada abertamente em 4 momentos na reunião ministerial ‹ VEJA ‹ Reader — WordPress.com

Comentários